Os ingredientes dos resultados

Os ingredientes dos resultados na aprendizagem: as técnicas, as estratégias e as dinâmicas mentais

No âmbito da aprendizagem, qual é a diferença entre as técnicas e as estratégias? E o que se entende por “dinâmicas mentais”?

As técnicas são as ferramentas utilizadas para lidar com as três fases da aprendizagem: leitura, compreensão e memorização. Cada uma dessas fases é abrangida pelas técnicas avançadas de aprendizagem presentes nos Cursos A+ Aprender+, e nesse site se encontram muitos aprofundamentos a respeito dos seus vários aspectos. Nesta página é possível se aprofundar nos conteúdos ensinados; nesta outra, nas aplicações e nos resultados; e ainda nesta outra, nos detalhes sobre os três cursos.

A estratégia abrange tudo o que está ao redor das fases da aprendizagem, ou seja, a hora, local e ritmo de estudo, o planejamento para a preparação de grandes exames ou provas importantes, a pesquisa e a escolha do material para o estudo, a gestão do tempo, das pausas, do sono, da alimentação e muito mais.

Esse curso se concentra a maior parte do tempo nas técnicas, em vez de sobre as estratégias de estudo. De todo modo, sobre as estratégias de estudo ainda há vários aprofundamentos importantes e são abrangidos vários elementos daqueles listados acima, que realmente influenciam a aprendizagem. Entretanto, o foco principal do curso é, em primeiro lugar, as técnicas de aprendizagem, e só em segundo lugar as estratégias.

Existe, enfim, um terceiro ingrediente que pode afetar o alcance de um resultado na aprendizagem: as dinâmicas mentais. Esse ingrediente é muitas vezes subestimado, mas é muito importante, e durante o curso recebe uma atenção especial.

As dinâmicas mentais são tudo o que diz respeito aos nossos pensamentos no que se refere a alcançar um objetivo. Nossos pensamentos podem afetar significativamente os nossos resultados e uma dinâmica mental é um conjunto de pensamentos organizados por um andamento recorrente, o qual pode ser identificado, analisado e discutido. Há dinâmicas mentais definidas como potencializadoras e outras definidas como despotencializadoras. As primeiras facilitam, incentivam e estimulam o alcance do resultado, enquanto as segundas o obstaculizam e desencorajam. As dinâmicas mentais têm um poder tão grande que um exame universitário entre os mais fáceis pode tornar-se impossível, e igualmente são capazes de fazer provas muito difíceis serem superadas com grande sucesso e convicção.

Na aprendizagem, cada um de nós tem suas próprias dinâmicas mentais recorrentes. Durante o curso, são abordadas aquelas que têm sido provado ser as mais comuns entre a maioria dos seres humanos, as mais recorrentes e responsáveis pelo sucesso ou fracasso da maior parte dos processos de aprendizagem.

O fato de essas dinâmicas serem identificáveis e reconhecíveis torna possível o reconhecimento daqueles que são os nossos pensamentos, os pontos fortes e os freios mentais que entram em jogo em nossas cabeças. De qualquer forma, muitas vezes a consciência por si só não é suficiente, valendo também grandes e pequenas ferramentas que ajudam a iniciar e a manter o fluxo de pensamentos potencializadores. Durante o curso, não só são apresentados esses conceitos e essas ferramentas, como também há experimentação, fazendo com que o aluno se acostume a usar seus próprios pensamentos de uma maneira produtiva desde as primeiras aulas e em diferentes situações. O objetivo é treinar a sua capacidade de ativar dinâmicas mentais produtivas e desativar as improdutivas.

Dito isso, parece um processo imediato, mas na prática requer uma certa quantidade de atenção, auto-observação, honestidade consigo mesmo e vontade de se envolver. De qualquer forma, é algo que vale a pena o esforço necessário. Isso é certo.

Fabrizio Testi

 

Foto por CollegeDegrees360 / CC BY